Santa-cruzense representa beleza plus size em concurso

Marina Winck participa de seletiva do Miss Plus Size neste fim de semana, em Porto Alegre

Foto: Divulgação


A fotógrafa Marina Winck é espontânea e cheia de atitude. Aos 29 anos, a moça, acostumada a ficar atrás das lentes das câmeras, resolveu que era hora de mudar de lugar e mostrar que esbanja beleza e autoestima. Ela irá representar Santa Cruz do Sul na seletiva do concurso Miss Plus Size, que acontece neste fim de semana, em Porto Alegre. A santa-cruzense irá concorrer com outras 13 meninas de outras cidades do Estado a uma vaga na decisão do concurso, que irá reunir as finalistas de todo o Rio Grande do Sul. 

A oportunidade de participar do concurso deixou Marina confusa em um primeiro momento. No entanto, resolveu aceitar o convite de representar Santa Cruz quando se deu conta que poderia servir de exemplo para outras pessoas. "Acredito que posso incentivar outras mulheres a cultivarem o amor próprio e propagar a ideia de que ser bonita não é pertencer a um determinado padrão, mas sim se sentir bem e entender que você pode ser linda com qualquer altura, manequim ou momento da vida", explicou. 

Na seletiva do concurso, os avaliadores irão julgar a desenvoltura, simpatia e beleza das candidatas. Elas participarão de desfiles em traje de banho e com roupas no estilo casual. Para mostrar que são mais que um rostinho bonito, as concorrentes terão que convencer os jurados que merecem vaga na final durante a conversa com os avaliadores. 

A representante santa-cruzense já iniciou a preparação para a seletiva. Marina está fazendo tratamento odontológico, treinando a passarela e estudando. Caso seja escolhida, ela conta que pretende intensificar os cuidados com a aparência e treinar a oratória. Para conseguir a vaga, Marina destaca a preocupação com o coletivo, inteligência, determinação e o bom humor como seus pontos fortes. "O meu sonho é o mesmo de muitas mulheres, que não tem coragem de seguir em frente. Assumindo essa atitude, quero encorajá-las", conta. "Depois de tantas experiências, por que não assumir mais essa? Eu estou entrando pra valer".

 


Autoestima

Marina já foi loira, morena e até ruiva. Ela gosta mesmo é de mudar. Vaidosa, ama maquiagem e esbanja autoestima. "Muitos acham que as gordinhas vêm acompanhadas de uma baixa autoestima, mas não é verdade", explica. O peso nunca foi um problema pra ela. Quando era adolescente não costumava sofrer preconceito e ouvir piadinhas por causa disso. A receita, segundo ela, é manter uma boa relação com os demais. "As pessoas tendem a não atacar alguém que elas gostam, então, simpatia e boa educação sempre podem ajudar, em qualquer situação".

"Eu desde cedo escolhi que não me sentiria diferente por ter uma característica fora do padrão, minhas inseguranças são as mesmas de qualquer mulher: se meu cabelo está bonito, se estou bem maquiada, sei que sou bonita naturalmente, não preciso ser outra pessoa para ser bela. Tornar isso um problema, é uma escolha", finaliza.