Temperaturas mais baixas são aliadas para tratamentos estéticos

Com a menor incidência de raios solares, segundo especialistas, os retornos tendem a ser melhores, reduzindo o risco de manchas, inchaços e desconforto

Foto: Pixabay


A queda nas temperaturas é sinal de que o inverno se aproxima. Ao mesmo tempo em que o frio se torna um convite para ficar em casa – ainda mais em tempos de reclusão diante da pandemia do novo coronavírus – também é ideal para a realização de tratamentos estéticos, especialmente para harmonização facial.

Com a menor incidência de raios solares, segundo especialistas, os retornos tendem a ser melhores, reduzindo o risco de manchas, inchaços e desconforto. Entre os serviços que costumam ser mais requisitados nos consultórios e nas clínicas estão aqueles que renovam a pele por meio de aplicações ou procedimentos cirúrgicos. Técnicas de depilação a laser também são favorecidas no frio, pois a exposição ao sol pode interferir nos resultados.

Hoje existe uma gama de opções de tratamentos e procedimentos disponíveis. Por isso, a dica é sempre buscar a orientação profissional e realizar avaliação a fim de identificar o melhor tipo e técnica a ser adotada.

No ranking de serviços realizados nesta época do ano estão cirurgias plásticas, que registram incremento entre 30% e 50%, dependendo da região do País. Entre elas estão lipoaspiração, colocação de prótese de silicone, plástica nas pálpebras (blefaroplastia) e abdominoplastia. A mesma regra vale para técnicas voltadas à harmonização facial realizadas sem bisturi.

Veja como funcionam alguns dos procedimentos mais populares entre os brasileiros

PREENCHIMENTO FACIAL
consiste na aplicação de ácido hialurônico na camada subcutânea para hidratar e devolver volume à pele. O preenchimento corrige os sulcos e ameniza o aspecto do bigode chinês, por exemplo.

BOTOX
a função da toxina butolínica é paralisar a região do músculo a fim de reduzir as linhas de expressão e suavizar as rugas.

BIOESTIMULAÇÃO DE COLÁGENO
procedimento que pode ser feito tanto na face quanto no pescoço para tratar a flacidez da pele e estimular a produção de colágeno.

RINOMODELAÇÃO
técnica realizada para remodelar a estética do nariz com o uso de substâncias preenchedoras, como o ácido hialurônico.

LIFTING
opção indicada para corrigir a flacidez por meio de incisões que remodelam o tecido e reposicionam a musculatura de uma região do rosto (pálpebras, mandíbula, nariz, testa e até mesmo pescoço). 

BICHECTOMIA
é a retirada de uma pequena quantidade de gordura das bochechas, com anestesia local. 

Jovialidade em evidência
Sabe quando aparecem aquelas ruguinhas no rosto e ao redor dos olhos? Elas são fruto de um processo natural, o envelhecimento, e começam a dar seus primeiros sinais, normalmente, após os 30 anos. Entre os procedimentos estéticos modernos para combater os sinais da ação do tempo, os tratamentos com ácido hialurônico costumam ter resultados rápidos e podem ser acionados em diferentes idades.

O ácido hialurônico faz parte da composição do corpo, mas sua produção diminui com o tempo. Ele é utilizado para alguns fins, como hidratação, realce de contornos, volumização e efeito lifting, dependendo da necessidade e dos objetivos. “Temos uma ampla gama de opções e alternativas de tratamento. O importante é analisar e entender cada paciente para saber onde encaixar cada uma delas”, comenta a dermatologista Bárbara Faria-Corrêa.

A idade recomendada para começar a utilizar o ácido hialurônico varia de acordo com o desejo e o quadro de cada paciente. Se o objetivo final é o embelezamento, uma pessoa jovem, de 20 anos, pode tratar pontos como queixo, olheira profunda ou lábios finos. Já alguém com 30 anos pode utilizar a substância a fim de prevenir o envelhecimento precoce. Por fim, um paciente com seus 40 e 50 anos possui uma pele mais madura e, por isso, pode aplicar uma quantidade maior do ácido hialurônico com o intuito de rejuvenescer de maneira natural e harmônica.