É tempo de mudar: o ideal é se for com tranquilidade

Planejar e organizar é essencial no momento de trocar de endereço

Foto: Divulgação


De repente é tempo de mudar. A mudança para o novo lar normalmente vem envolta em muita expectativa, mas também em preocupações sobre como dinamizar o processo. Os detalhes que envolvem a troca de endereço englobam planejamento, desmontagem, empacotamento, transporte e montagem. Também é tempo de desapegar e avaliar tudo o que a família não quer e não precisa levar para a casa nova. A personal organizer Shana Rech tem experiência em mudanças, já que foram sete em sua vida nos últimos 14 anos. Natural de Vera Cruz, mora em Sergipe e já está com as caixas separadas para novamente pegar a estrada.

Na companhia do esposo Carlos e do filho Francesco, o próximo endereço da família é Salvador, na Bahia. Além da experiência com as mudanças, Shana fez curso de personal organizer pelo método Reorganize e hoje também ajuda outras pessoas que precisam de organização em seu dia a dia, inclusive durante as mudanças de residência. “Fiz o curso no ano passado, há pouco tempo atuo nessa área, mas aplico e estou aplicando, neste momento, as técnicas que aprendi para mim.” Além disso, ressalta que troca muitas dicas com as pessoas sobre mudanças. “Convivemos com um grupo que leva uma vida nômade como a nossa”, conta.

Para a profissional, antes de tudo o primeiro passo é preparar a família, principalmente se houver filhos pequenos. “O importante é tratar a mudança como algo natural, pois mudar faz parte da vida”, ensina. Para Shana, deve-se mostrar às crianças que quem constrói o lugar são as pessoas, e não as coisas. “Então, a felicidade no novo lugar depende de nós.” Outro aspecto que acha fundamental é o planejamento.

Segundo Shana, é imprescindível escrever tudo de que se precisa, desde materiais até mesmo o que deve ser cancelado ou trocado de endereço. “Não sugiro que as pessoas coloquem em caixas seus pertences se a mudança for para longe, pois as empresas de transporte se responsabilizam apenas por danos causados pelo que embalam. Ou a empresa coloca em caixas, ou, se você vai contratar um personal organizer, ele coordena toda essa embalagem.” Outra dica é a seleção do que vai para a nova casa: é hora de desapegar de tudo o que não for mais usado.

DICAS DA PROFISSIONAL

Separe um kit que precisa ficar à mão na chegada da mudança, como pratos, talheres e copos para utilizar enquanto o material vai sendo desempacotado. Cada membro da família deve preparar uma mala para o período de organização na casa nova, pois é comum não achar as coisas no início. Isso auxilia muito, pois você poderá abrir seus pertences com mais tranquilidade, fazendo da mudança um processo mais leve. 

Sacos à vácuo são aliados. Podem ser usados para os cobertores, as roupas e o que mais for preciso. Os sacos de lixo também ajudam, mas prefira os azuis, pois os pretos passam cheiro para as roupas. O ideal é que roupas não encostem em caixas de papelão, que também dão cheiro e atraem traças. 

Utilize adesivos de cores diferentes para cada parte da casa: faça uma tabela e cole esses adesivos nas portas e nas caixas. Quando as caixas entrarem na casa nova, você vai colocar os adesivos referentes ao lugar de destino das caixas na respectiva porta. Isso faz com que cada caixa vá diretamente para o ambiente correto. 

Dica de ouro: não menospreze o período de mudança. Trate-o como um evento especial na vida da família. O planejamento, passo a passo, vai garantir uma leveza ao processo. Ficar atento às emoções da família, conversar sobre elas, contribui para uma melhor adaptação à nova moradia. Essa conversa também vai levar a uma divisão de tarefas, não sobrecarregando nenhum membro da família. 


MICHELLE TREICHEL

michelle@gazetadosul.com.br