Muito velho para aprender um novo idioma?

Marianthi Boutsiavaras escreve artigo sobre o aprendizado de uma língua estrangeira na fase adulta

Foto: Divulgação


Constantemente, me deparo com adultos que têm interesse em aprender um novo idioma, mas se questionam se já estão “velhos” para isso. É fato que não existe um período certo para começar aprender algo novo e, dependendo da dedicação, os resultados de assimilação na idade adulta podem ser surpreendentes.

Crianças têm maior facilidade com uma nova língua.  Isso faz parte do processo natural de desenvolvimento delas. Neurologicamente falando, a mente dos “pequenos” está aberta para novos estímulos. E quanto mais cedo melhor, porém, a maturidade dos adultos é uma vantagem a ser considerada.

Quando uma pessoa adulta decide estudar um novo idioma, ela já tem em mente os objetivos traçados além de interesse, o que passa a ser uma motivação a mais. Contudo, esse processo pode ser mais trabalhoso, pois, diariamente, demandas profissionais, familiares, serviços da casa, entre outros , dificultam a dedicação necessária ao estudo e prática. No entanto, a tendência é de que o comprometimento e a responsabilidade sejam um ponto a favor do ensino na fase adulta, já que disciplina é essencial.

Não existe mágica para aprender uma nova língua. Independente da idade, a orientação é sempre a mesma: praticar, praticar e praticar.  O segredo é a forma como essa rotina pode ser adaptada.

Quando adultos, nem sempre é possível dispor de muito tempo para estudar e realizar atividades que ajudam na absorção do idioma, como acompanhar séries ou filmes em inglês. Uma dica é adaptar o dia a dia de maneira que o idioma possa ser inserido em configurações de e-mails e celulares, por exemplo. Ouvir notícias de outros países ao caminho do trabalho é uma opção para aproveitar o percurso, ainda mais com o fácil acesso à internet. Rápidas leituras de textos no idioma de preferência também ajudam bastante. O mais importante: praticar, nem que seja com o espelho, porque “Practice makes perfect!”.

Minha mãe, hoje com 77 anos, iniciou seus estudos aos 62 tendo aulas num grupo de terceira idade no interior de São Paulo. Hoje, lê livros de páginas e mais páginas em inglês. Um orgulho. A idade não pode, de maneira alguma, ser um impeditivo para o aprendizado, pelo contrário. É preciso saber usar a sabedoria adquirida ao longo da vida para desenvolver novas habilidades. 

*Artigo escrito por Marianthi Boutsiavaras, diretora do Centro de Idiomas Language Factory