VÍDEO: campanha ilustra momentos não vividos entre pais e filhos adotivos

A homenagem presenteou as famílias com desenhos que os unem, antes mesmo de se conhecerem, em situações marcantes e especiais

Foto: Divulgação


A adoção tardia no Brasil ainda é um gesto raro, que esbarra em diversos mitos e preconceitos. Hoje, 92% das crianças que estão à espera de adoção têm mais de 7 anos. Contudo, dos 37 mil pais que querem adotar, apenas 9% acolhem crianças dessa idade ou mais velhas, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça. Ou seja, essa conta não fecha.

Para sensibilizar e jogar luz sobre essa causa, a marca Dermodex e a agência de publicidade BETC São Paulo divulgam uma experiência realizada com três famílias brasileiras, que permitiu que pais de adoção tardia se vissem, pela primeira vez, ao lado dos filhos desde o nascimento.

Veja o vídeo:

 

Parte de uma pequena parcela da população, três casais - Ester e Moacir, Cacalo e Zé Antônio, e Malu e Joachim - foram surpreendentemente homenageados com O Álbum Nunca Fotografado: ilustrações que unem pais e seus filhos adotivos, antes mesmo de se conhecerem, em momentos marcantes e especiais.

“Eternizar momentos da vida é uma experiência que todos merecem ter, inclusive os pais de adoção tardia que não puderam acompanhar os primeiros anos de vida de seus filhos. Mesmo não tendo vivido determinadas situações, no imaginário dessas famílias, esses momentos sempre existiram”, comenta o sócio e CEO da BETC São Paulo, Erh Ray, ressaltando o propósito da ação promovida pela marca.

Por meio de um álbum de memórias, esses pais tiveram a oportunidade de se ver ao lado de seus filhos, desde o dia do nascimento de cada criança. Após meses de um trabalho minucioso de pesquisa, estudando o passado das famílias antes da adoção, a BETC São Paulo descobriu quais momentos e quais histórias pais e filhos gostariam de ter vivido juntos.

A partir disso, em parceria com o estúdio Ícone, criou álbuns customizados repletos de ilustrações realistas, trazendo imagens inesquecíveis das famílias, antes de se conhecerem: troca de fraldas, festas de aniversários, casamentos, brincadeiras no jardim de casa, entre outras tantas situações.

“Se eu pudesse escolher um momento, eu gostaria que elas fossem minhas noivinhas e entrassem comigo no salão, no dia do meu casamento. Seriam duas pequenininhas”, comenta Ester que, junto a Moacir, adotou Sabrina aos 7 anos e, depois, Ketelyn aos 11, e viu uma das ilustrações materializar esse momento desejado.

A ação apresenta também o amor à primeira vista de Cacalo e Zé Antônio por Matheus, que nasceu com um problema sério de visão, mas que não o impediu de chegar a um novo lar aos 7 anos. “Isso aqui traduz todos os meus pensamentos desses anos todos. Tudo o que eu pensei que poderia ter vivido com ele”, se emociona Cacalo no filme.

“Todo o tempo que a gente não teve, está aqui, nesse álbum”, diz Malu, ao lado do marido Joachim. O casal adotou as três irmãs biológicas Gabriela, Rafaela e Emily, que tinham 6, 4 e 3 anos, respectivamente, na época.

Com a mensagem “Eles já eram uma família. Só faltava se conhecerem”, a homenagem pode ser vista nas redes sociais de Dermodex, que ainda faz um convite ao final da campanha para que novas famílias se formem inspiradas nessas histórias.

Como as famílias se conheceram

Malu e Joachim, pais de Gabriela, Rafaela e Emily

O casal adotou as três irmãs biológicas juntas. Quando chegaram ao Fórum, a irmã do meio pulou no colo de Malu, e a mais nova se juntou a elas em um abraço. No momento de ir embora, a mais velha se despediu: “Tchau, mamãe”. Não resistiram e adotaram as três. Eles contam que, por acaso, tentaram engravidar por três vezes e, por engano, compraram um triliche sem imaginar que receberiam as três crianças.

 

Cacalo e Zé Antônio, pais de Matheus

Zé Antônio recebeu uma foto do Matheus pelo celular. Ele estava no trabalho, se emocionou e chorou muito. Cacalo teve a mesma reação. Eles sabiam, de alguma forma, que era o filho deles. Eles contam que, ao chegarem no abrigo, quem os recebeu foi Matheus dizendo “Os meus pais chegaram!”.

 

Ester e Moacir, pais de Ketelyn e Sabrina

O casal sempre pensou na possibilidade de adoção, além de ter filhos biológicos. Moacir, inclusive, tem um irmão adotivo e, como o pai faleceu cedo, sempre cuidou do irmão como um filho. Eles contam que no primeiro contato com Sabrina sentiram como se fossem um encontro de almas. Como se estivessem presenciando um nascimento. O casal também adotou Ketelyn, que coincidentemente nasceu no mesmo ano em que Ester e Moacir começaram a namorar. 

 

 

Fotos: Divulgação

Ficha Técnica

Título: Álbum Nunca Fotografado
Anunciante: Reckitt Benckiser
Produto: Dermodex
Agência: BETC/Havas
CCO: Erh Ray
Criação & Conteúdo: Rodolfo Barreto, Daniel Schiavon, Americo Vizer, Chico Lucas, Fillipe Abreu, Pedro Rosas, José Pedro Bortolini, Michel Morem, Gabriel Marcondes e Savio Hatherly
Marcas & Negócios: Daniela Keller e Luana Gregorio
Comunicação & PR: Camila Nakagawa
Estratégia & Gestão de Dados: Utymo Oliveira
Canais & Engajamento: Carlinha Gagliardi, Felippe Sobrinho e Artur Martins
RTVC: Mariane Goebel, Ana Lucia Marques e Tiago Hasegawa
Produção Gráfica: Gilmar Mendes, Renata Germani, Juliana Arantes, Carlos Valeriano e Plínio Junior
Produtora: Trator Filmes
Diretor: Claudio Cinelli
Produtora/Som: Jamute
Ilustração: Estúdio Ícone
Impressão: Gráfica P+E
Aprovação Cliente: Alan Kirszenwurcel, Fernanda Inoguti e Márcio Aguiar

Fonte: Assessoria de Comunicação


NAIARA SILVEIRA

naiara@gaz.com.br