Críticas em excesso estão no top 5 dos conflitos conjugais

Reprovação e censura em excesso podem levar casais ao divórcio

Cíticas constantes podem levar casal ao divórcio
Foto: Divulgação


Segundo um dos maiores especialistas em relacionamentos amorosos, o norte-americano John Gottman, as críticas figuram entre os quatro principais motivos que podem levar um casal a se divorciar, inclusive o psicólogo nomeou a crítica como “um dos quatro cavaleiros do apocalipse”. Aqui no Brasil, segundo recente pesquisa do Instituto do Casal, as críticas em excesso são o quarto motivo que levam os casais a brigarem.

Para as terapeutas de casal e fundadoras do Instituto do Casal, Denise Miranda de Figueiredo e Marina Simas de Lima, a crítica pode abrir caminho para outros problemas, principalmente quando ela é constante. “Criticar o (a) parceiro (a) pode fazer com que ele/ela se sinta agredido (a), rejeitado (a) e magoado (a). Além disso, pode virar um padrão de comportamento que irá se tornar tóxico para a relação com o passar do tempo”.

Críticas mais comuns

“Percebemos na nossa prática clínica que os casais têm mais dificuldade para elogiar e mais facilidade para criticar. Como se fossemos treinados para olhar mais para as faltas do que para as conquistas”, diz Marina.

“Os casais, em nossa experiência, criticam desde coisas simples do dia a dia, como gosto por roupas, escolha pelos programas relacionados ao lazer da família e do casal, até questões mais complexas, como por exemplo, a relação que estabelecem com as famílias de origem”, conta Denise.

A origem das críticas

Mas, afinal, de onde vem as críticas? Segundo as especialistas, muitas vezes as pessoas criticam sem se dar conta que estão criticando, é um comportamento quase que automático e, que nem sempre é feito com o objetivo de magoar ou atacar o outro.

“A crítica pode ser um padrão aprendido na família de origem, por exemplo. Em muitos casos, a crítica está ligada a valores e crenças pessoais. Outro ponto é que temos a tendência, como seres humanos, a apontar para aquilo que nos falta, esquecendo de agradecer pelo que temos, ou seja, ver o lado bom da vida, apesar das situações desafiadoras cotidianas”, diz Marina.

“Um exemplo que certa vez presenciei foi de um casal que discutia a respeito dos cuidados acerca do filho. O pai se esforçava para cuidar da criança, mas do jeito dele, mas a esposa sempre criticava a roupa escolhida, o jeito que o pai tinha arrumado o cabelo da criança, etc. O importante nessa situação é que o pai participava dos cuidados da criança e isso deveria ser reconhecido e não criticado. Claro que se havia espaço para melhorar alguma coisa, poderia ser falado, mas não em tom de crítica”, explica Denise.

Como usar a crítica para melhorar a relação

 “A grande questão é que a maioria dos casais não sabe usar a crítica para melhorar a relação e isso é possível. Lembrando ainda que posturas críticas de forma constante comprometem o estabelecimento de uma relação saudável. Quem critica enfraquece o poder de realização do outro, impedindo sua colaboração, seu desenvolvimento e, claro, afeta a harmonia do relacionamento”, diz Marina.  

Veja as dicas das especialistas para lidar com as críticas no casamento:

  1. Aceitar: Cada pessoa é única, tem seu próprio DNA, seu valores, suas crenças e sua individualidade. Assim, o casal precisa aceitar essas diferenças, seja no jeito de falar, de se vestir, de comer. Ou seja, aceitar o outro como ele é. Isso é amar. Claro, que dentro do bom senso e de combinados que o casal precisa fazer.
  2. Resolver seus próprios conflitos: O comportamento crítico pode estar ligado à família de origem ou a outros problemas prévios ao casamento. Portanto, entender porque age desta maneira é o primeiro passo para evitar o excesso de críticas dentro do casamento.
  3. Assumir a responsabilidade: Em um casamento, normalmente, quando algo acontece a responsabilidade é de ambos. Portanto, criticar o (a) parceiro (a) só vai piorar a situação. Cada um deve assumir sua responsabilidade no problema e juntos devem procurar uma solução.
  4. Perdoe: Algumas pessoas tendem a guardar mágoas e ressentimentos e nutri-los dentro de si. Quando algo dá errado, gostam de trazer isso à tona, muitas vezes em tom de crítica. Assim, o casal deve procurar praticar o perdão sempre, conversar e resolver os conflitos, por mais difícil que possa parecer, sempre será possível negociar e achar uma solução boa para ambos e, principalmente, para o relacionamento.
  5. Mude o hábito: Criticar muitas vezes é um hábito, acaba sendo inevitável. Mas, felizmente, hábitos podem ser mudados. Isso pode ser treinado. Cada vez que pensar em criticar, faça um elogio.
  6. Veja o lado bom da vida: Pare de ver o que lhe falta. Pratique a gratidão. O parceiro lavou a louça? Agradeça! A escolha é sempre sua e quanto mais você enaltecer o que é bom, menor será a chance de emitir críticas ou pensar no que lhe falta.

O poder do elogio

O contrário da crítica é o elogio. Que tal elogiar mais o (a) seu (sua) parceiro (a)? Isso precisa ser praticado todos os dias. O reforço positivo é sempre importante e irá, certamente, afastar as críticas. No dia a dia já recebemos críticas demais, portanto ninguém quer chegar em casa e ser criticado. Lembre-se: para haver mudanças não basta boas intenções, é preciso haver ação, investimento e isso se torna um hábito”, encerram Marina e Denise.