Como proteger as crianças contra cyberbullying

Você não pode controlar o que seu filho faz online? Então, como protegê-lo contra os perigos online? Veja aqui como é possível proteger as crianças contra cyberbullying!

Foto: Divulgação


Introduzir a internet e todas as suas possibilidades na vida da criança é uma atitude comum. Porém, muitas vezes não pensamos nos perigos que podem surgir e o cyberbullying é um deles, e que pode trazer graves consequências.

As crianças vítimas de bullying nem sempre contam o que estão sofrendo aos pais, mas existem comportamentos que podem indicar que seu filho está sofrendo com esse problema: a tendência de introspecção, queda no desempenho escolar, agressividade ou tristeza.

O que muitas pessoas podem achar “normal” ou “brincadeiras típicas da idade” pode causar efeitos permanentes nas vítimas de bullying, chegando até a casos mais graves em que a criança começa a se automutilar ou pode até cometer o suicídio.

Como manter meus filhos protegidos contra o cyberbullying?
O cyberbullying é um problema que pode ser prevenido e existem muitas formas de orientar seus filhos e protegê-los desse sofrimento. Confira aqui algumas dicas para proteger as crianças contra cyberbullying!


1. Estabeleça uma relação de confiança
A primeira medida é sempre manter uma relação aberta, sem julgamentos, com muito carinho e afeto para que as crianças se sintam confortáveis a falar caso sofram com alguma coisa. Elas precisam saber que tem apoio, não importa o que aconteça.

2. Invista em aplicativos de controle parental
Com o avanço da tecnologia, podemos contar com ela inclusive para proteger as crianças contra cyberbullying. Os softwares de controle parental possuem uma gama de recursos para monitorar o uso do dispositivo de seu filho, rastrear sua localização e promover o uso consciente.

O Spyzie, por exemplo, é um aplicativo que faz o monitoramento parental por iPhone. Ele ainda permite monitorar todas as conversas e ligações, atividades em redes sociais, aplicativos, histórico de navegador e de busca, além de verificar as imagens recebidas e enviadas e poder bloquear conteúdos adultos ou sensíveis. Os recursos de localização permitem verificar aonde seu filho está, em tempo real, para proteger também fora do mundo virtual.

O uso consciente do aplicativo pode ser promovido com os recursos de controle de uso, que bloqueia determinados aplicativos ou o dispositivo inteiro após um período determinado.

3. Oriente seu filho sobre a internet
Oriente sempre seu filho sobre os perigos que o acesso à internet pode causar. É importante alertá-lo sobre não conversar com estranhos e para não divulgarem informações pessoais virtualmente. Oriente-o também quanto ao uso consciente do dispositivo, para que a criança não fique o tempo todo em frente às telas. Entenda que a superexposição nas redes sociais traz consequências negativas.

4. Identifique os sinais de bullying
As crianças podem demonstrar mudanças de comportamento ao serem intimidadas, como medo de ir à escola, baixa autoestima, ansiedade, dores de cabeça ou de estômago, dificuldades para dormir, alteração na alimentação e muitos outros. Fique sempre atento e converse com seu pequeno assim que notar mudanças de comportamento.

Foto: Divulgação

 

5. Conheça a rotina de seu filho fora de casa
Além dos amigos, seu filho convive com outros adultos na escola ou em outros ambientes. Conheça-os e estabeleça uma relação de confiança com eles, para que eles também ajudem na proteção contra o cyberbullying ou somente te contatem caso testemunhem algo diferente.

6. Incentive a autoconfiança de seus filhos
Incentive-os a criar amizades saudáveis e a realizarem atividades que eles gostem. Enfatizem seus talentos, pontos fortes e trabalhe suas dificuldades. Isso aumentará a autoconfiança deles, que pode ajudar na hora de lidar com algum caso de bullying.

Existem muitas maneiras eficazes de proteger as crianças contra cyberbullying. O importante é que os pais estejam sempre atentos para que episódios assim não se transformem em casos sérios.