O beijo é importante em um encontro casual?

Pensar sobre o momento certo de dar ou receber o beijo é fundamental para o encontro casual terminar bem

Foto: Reprodução


A pergunta que tem sido feita pelas pessoas que adotaram os encontros casuais como forma de se divertir ou responder às necessidades do corpo, como o sexo, por exemplo, é se o beijo deve estar entre as ações que devem ser aplicadas e em qual momento ele deve ocorrer. As mulheres são as que mais pesam quando é o momento certo para beijar e se este ato, em muitos casos, pode representar um sinal diferente do que é desejado, de uma relação sem compromisso. Para a sexóloga Carla Cecarello, consultora do site C-date o beijo é uma parte daquilo que se espera numa relação sexual, porém, antes de chegar a transa em si, o beijo pode ser atrativo ou pode estragar totalmente o encontro.

Muitas coisas podem dar errado quando você beija alguém pela primeira vez. Num encontro casual então, as pessoas podem ter trocado impressões pelas redes sociais ou pelos sites de relacionamento, como é o caso do C-date, e não se conhecem pessoalmente. “Nestes casos, o beijo pode ajudar ou atrapalhar o que se pretende, pois pode ser incrível ou constrangedor”, analisa a sexóloga. A decisão deve ser cautelosa, porque o beijo num primeiro encontro casual pode parecer o oposto daquilo que se pretende. Na vida real, tudo, desde o início até o final num encontro casual, é embaraçoso para ambas as partes. Se não houver consciência, o beijo pode dar impressão de que não é apenas momentâneo e confundir como início de uma relação efetiva.

Segundo a sexóloga, as vezes um beijo dado com intensidade gera impressão de que aquilo está sendo uma ação de interesse. “Ou seja, se as pessoas não entendem que o encontro é casual e que mesmo sendo um beijo intenso, com vontade, gostoso, pode criar situações constrangedoras posteriormente, quando a pessoa perceber que nada daquilo é para uma relação de amantes ou que não voltarão a se encontrar futuramente”, diz.

A razão, de acordo com a consultora do C-date, é que a relação casual não impõe um dia seguinte, um novo encontro, uma repetição daquilo que ocorreu quando os beijos foram trocados. “Se o encontro terminar na cama e a transa for realmente inesquecível, a pessoa tem de saber que aquilo ocorrerá somente naquele momento, naquele dia”, explica Carla Cecarello. Isso não é definitivo. As pessoas podem marcar de se ver novamente. Se o beijo ocorrer de forma intensa é bom saber que, na maioria das vezes, “a pessoa não deve se impressionar ou achar que vai iniciar um relacionamento amoroso”, complementa a especialista.

Em um primeiro encontro as pessoas mostram a melhor versão delas para alguém, então ir para um beijo na hora errada pode ser perigoso ou mesmo causar impressões indesejadas. No entanto, se a pessoa desperdiça uma oportunidade, dada pelo outro, pode ficar sob pressão. O que a regra dos encontros casuais diz é “beijar no primeiro encontro é uma ótima maneira de avaliar a química, além de ser divertido e quase sempre muito bom”, salienta a sexóloga. Quando se praticam encontros casuais os complementos, como uma boa conversa, inteligência, astúcia e, principalmente, os coquetéis, os petiscos, ajudam a descontrair e facilitam o caminho para ambos decidirem sobre o momento de ir para o motel, para a casa de um deles ou, simplesmente, quando vão transar.

Nem todo beijo será épico, tremendo ou alucinante. Portanto, antes de deslizar a boca para a do parceiro ou parceira, é importante ter a certeza de que não vai cometer erros, ter consciência de valer só para aquele momento, uma única vez. “Essa é a lei dos encontros e sexo casual”, afirma a consultora do C-date. Carla Cecarello orienta aos parceiros definirem o clima para um bom primeiro beijo. Segundo a especialista, um pouco de lubrificação, de libação, pode ajudar a aliviar a tensão, principalmente se os dois não estiverem muito certos de como chegar lá. Por isso, a consultora do C-date indica três importantes passos para o beijo ocorrer sem erros:

  • Não esperar até o fim do encontro: Nada é mais indutor de estresse do que aproximar-se do final da noite e imaginar se o seu encontro vai dar um passo ou se você perdeu sua chance de beijar. Se isso está acontecendo, é porque você esperou demais e ou deu sinais errados para o parceiro(a).
  • Perceber os sinais: Quando alguém se inclina, provavelmente significa que está sinalizando o que quer fazer, então, ou devolva o sinal ou tome a iniciativa e deslize para a boca dele(a).
  • Boca e dente limpos na hora do beijo: Pode parecer piegas, principalmente se o encontro casual começar com um jantar ou uma bebidinha com petiscos, mas na maioria das vezes até o final dos petiscos, o beijo nem sempre acontece. Então, dê uma paradinha, vá ao toalete e dê uma escovada nos dentes. Para muitas pessoas (homens e mulheres) o medo de que a boca não esteja limpa adequadamente ou o hálito não esteja de acordo, pode bloquear o ato de beijar.