Roupa com proteção solar está em ascensão no país

Litoraneus apresenta peças que além de embelezar, protegem do sol

Roupa com proteção solar
Foto: Divulgação


Moda com proteção solar. Ao que tudo indica, essa é uma tendência que veio para ficar. Com temperaturas cada vez mais elevadas, contar apenas com o protetor solar parece não ser a melhor solução. Foi pensando nisso que a Litoraneus, referência nacional na fabricação de roupas e acessórios com proteção UV, desenvolveu um tecido com tecnologia capaz de absorver até 90% dos raios solares.

A ideia surgiu em 2010, quando a família Lima saía para velejar pelos mares de Recife, Pernambuco. A família, que trabalhava com confecção de roupas esportivas desde 1986, se preocupava com a exposição ao sol. “Percebemos que só o protetor solar não era suficiente. Como já tínhamos experiência em confecção, resolvemos desenvolver junto aos nossos fornecedores um tecido com FPU 50+ permanente, que não sai com as lavagens”, lembra Neto Lima, Diretor Comercial.

A preocupação faz todo sentido. O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD, são cerca de 176 mil novos casos por ano no país. Entre as principais causas estão a exposição excessiva à radiação ultravioleta do sol, e, em menor escala, até a lâmpadas fluorescentes, em ambientes fechados.

Sabendo disso, a família Lima se dedicou a desenvolver roupas e acessórios com proteção, mas sem abrir mão do gosto pela moda. “Nossos produtos são desenvolvidos pensando no dia a dia das pessoas, e não apenas no momento em que elas estão na praia ou praticando atividades físicas a céu aberto. Unimos os benefícios da proteção UV ao nosso antigo gosto pela confecção”, destaca Neto.

Um dos maiores diferenciais da marca é que todos os produtos possuem laudos e são certificados pela Arpansa, o único órgão no mundo responsável por testar fator UV em roupas e acessórios, que fica na Austrália. Dermatologistas se unem aos estilistas para participar do desenvolvimento das coleções, garantindo uma harmonia perfeita entre as duas áreas.

Os produtos atingem tanto as classes sociais A e B quanto C. “O cliente se sente atraído pela beleza das peças e, não se importa em pagar um pouco mais caro pela proteção UV. Ele compra um plus”, confirma. Além disso, há os que compram por necessidade, de acordo com recomendações médicas.

Todo esse cuidado tem impulsionado fortemente a expansão da rede, que atua por meio da licença de marca. Atualmente, são cerca de 80 unidades espalhadas pelas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Os produtos são encontrados exclusivamente nas lojas da rede.

Em 2016, a rede registra um crescimento de 40% em seu faturamento em relação ao ano anterior. Em 2017, pretende inaugurar 50 novos pontos de venda e faturar 30% amais. “Estamos bastante otimistas com o potencial desse mercado. As pessoas estão cada vez mais conscientes da necessidade de proteger e prevenir manchas e doenças causadas pela exposição ao sol”, finaliza. Ao que consta, a crise não está passando nem perto desse setor.