Armário cápsula: ninguém precisa de mais de 40 peças de roupa

O ideal é que as peças possam combinar entre si, de forma que as possibilidades de looks sejam bem amplas

Foto: Reprodução


O armário cápsula é um conceito que existe desde 1970 e foi criado pela estilista Susie Faux. A ideia foi resgatada recentemente pela blogueira Caroline Rector, do blog Unfancy e, desde então, se tornou pauta em diversas rodas conversa. A premissa é simples: ninguém precisa de mais do que 30 ou 40 peças de roupa para viver, portanto, todo o resto é acúmulo. 

Mas, adaptar um guarda-roupa para se tornar cápsula pode ser um verdadeiro desafio. "Requer planejamento, foco e mudança de comportamento", explica a personal stylist Marina Santa Helena. O ideal é que as peças possam combinar entre si, de forma que as possibilidades de looks sejam bem amplas, mesmo com menos produtos.

"É preciso sentar, refletir sobre seu estilo de vida, sobre os lugares em que você transita, pensar que mensagens de estilo você quer passar para o mundo nessas ocasiões e juntar referências", diz Marina. 

O primeiro passo para investir em um armário cápsula é identificar que peças são essenciais na sua vida e garantir que elas sejam de qualidade, porque vão ser constantemente usadas, e isso requer durabilidade. Sapatos, bolsas e acessórios também devem ser incluídos na conta de produtos, porém meias e lingerie não, afinal, são trocadas todos os dias."O ideal é calcular a quantidade com base na frequência que você lava esse tipo de peça", afirma a stylist. Roupas que sejam repetidas como, por exemplo, diversas calças pretas, podem ser doadas ou vendidas. 

Porém, roupas de estação, como casacos pesados ou vestidos muito leves, devem ser guardadas para quando o tempo mudar. Uma boa dica é repensar o que foi escolhido a cada três meses. "Assim é possível avaliar o que deu certo e o que deu errado no seu guarda-roupa cápsula".

Em um momento em que cada vez mais as pessoas andam repensando hábitos de consumo, ideias como essa tomam força, afinal, propõe a diminuição nas compras e um olhar diferente para as roupas, indo na contra mão do fast-fashion. E Marina Santa Helena tem a sua teoria: "Me parece que muitas pessoas estão começando a se sentir oprimidas pelo excesso e procurando alternativas para viver melhor sem tanto ruído". 

Manter um guarda-roupa cápsula é uma prática que traz muitos benefícios que vão além da sustentabilidade. "Menos stress, menos gastos, mais tempo", enumera a stylist. "É possível reduzir em menos da metade o tempo que se gasta escolhendo roupa em frente ao espelho de manhã". E até o bolso sente a mudança. "Quando se pensa de forma mais consciente sobre seu estilo, dá economizar bastante e, portanto, investir em peças duráveis e de maior qualidade - ou em qualquer outra coisa".

* Fonte: Estadão Conteúdo


NAIARA SILVEIRA

naiara@gaz.com.br