Semijoias folheadas, banhadas e chapeadas: entenda as diferenças

Saiba também como aumentar a durabilidade das peças com dicas de cuidados simples

Foto: Shutterstock


Os acessórios são os coringas para os looks em qualquer momento, pois até mesmo naqueles dias em que escolhemos peças mais básicas é possível dar um up no visual com apenas um par de brincos folheados, um colar ou um lenço.

LEIA MAIS

Hoje vamos falar sobre as semijoias, que são peças que receberam banho de algum metal nobre. Elas são cada vez mais usadas por oferecerem uma durabilidade maior em relação às bijuterias, além da beleza no design e sofisticação. Porém, muitas pessoas ainda se confundem na hora de escolher um par de brincos folheados, um colar banhado ou até pulseiras chapeadas. Confira a diferença entre cada tipo de semijoias e dicas para fazê-las durarem mais:

Folheadas e chapeadas

As semijoias folheadas ou chapeadas são a mesma coisa. Isso mesmo! Só muda a forma que falamos. Elas são criadas a partir de uma base de metal com a aplicação de uma fina camada de ouro ou prata, por exemplo, e depois desse processo é feito uma forte compressão para garantir a aderência da camada na peça.

Para entender melhor, é só lembrar daquelas igrejas históricas da época do barroco. Dentro delas é possível encontrar muitas peças, como imagens de santos, altares, entre outras formas na arquitetura, todas folheadas a ouro.

Banhadas

As semijoias banhadas são aquelas que foram mergulhadas no ouro ou na prata, por exemplo, por isso o nome banhadas. Esse processo é feito ligado à corrente elétrica (eletroquímico) e chama-se galvanoplastia. A maioria das opções oferecidas no mercado utilizam essa técnica no processo das semijoias.

O ouro é geralmente um material mais rígido, porém as semijoias podem ser folheadas ou banhadas também a ouro rosê, ródio (branco e escuro), prata, cobre e níquel. Quanto mais camadas a peça receber maior será a resistência, durabilidade e aparência mais perfeita e brilhante. Dica: o níquel pode causar alergia como vermelhidão nas orelhas, por exemplo, então para quem tem a pele sensível é importante dar preferência aos materiais antialérgicos.

Na hora de escolher a semijoia

A quantidade de metal nobre aplicado sobre a peça é chamado de milésimos e é o que garante a durabilidade. Por isso, é importante verificar essa informação antes de comprar uma semijoia. Uma quantidade que garante uma boa duração das peças está entre 8 e 12 milésimos. A exceção são os brincos folheados, que podem ser de até 5 milésimos, pois sofrem menos atrito em relação às mãos, por exemplo.

Como fazer a semijoia durar mais?

Agora que você já entendeu as diferenças entre as semijoias, saiba que é possível aumentar a vida útil das peças com alguns cuidados no dia a dia. 

  • Utilize apenas sabonete líquido neutro na hora da limpeza
  • Utilize uma escova de dentes para aplicar o sabonete neutro
  • Enxague sempre com água fria
  • Seque com o secador em temperatura média ou uma flanela 
  • Evite passar perfume por cima da peça, pois o álcool pode agredir a semijoia
  • Retire as peças ao manusear produtos químicos como os de limpeza, por exemplo
  • Armazene sempre em um local limpo e fresco livre de umidade

Fonte: Aline Matos