Cinco tópicos que todo autista gostaria que você soubesse

Especialista fala sobre o transtorno e como auxiliar adultos e crianças nesses casos

Foto: Divulgação


Dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos estimam que uma a cada 59 crianças em idade escolar possuem algum tipo de autismo. No Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), são cerca de dois milhões de autistas. O autismo ou Transtornos do Espectro Autista (TEA) causa distúrbios no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e comportamento social de crianças e adultos.

LEIA MAIS: Projeto que prioriza atendimento a pessoas com autismo ingressa na Câmara

O psicólogo Tiago Bara que o transtorno não tem cura. "Ele pode ser tratado para que possa se adequar ao convívio social da melhor maneira possível. Quanto antes ele for diagnosticado, melhores são os resultados do tratamento", explica. Bara é mestre em Ensino nas Ciências da Saúde do Centro de Recuperação Neurológica (Cerne) e membro do Núcleo de Neurociências do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. Para ajudar nessa tarefa de integrar essas pessoas no convívio social de maneira saudável, confira cinco tópicos que todo autista gostaria que você soubesse:

1. Antes de tudo, eu sou um ser humano

O autismo é um aspecto do funcionamento do meu cérebro, isto é, ele não define quem eu sou. Assim como você, eu tenho pensamentos, sentimentos, talentos e vontades. Quando você me define por essa característica, pode criar expectativas que serão pequenas para mim. Apesar do TEA ser marcado por alterações do comprometimento da interação e comunicação social, eu sou capaz, acredite!

2. Quanto antes meu autismo for diagnosticado, melhor

O diagnóstico do TEA é clínico, feito a partir de critérios definidos pelo DSM-5 ou CID-10. Quanto mais cedo o autismo for diagnosticado, melhores serão as chances da pessoa ter uma melhor qualidade de vida. Hoje existem tratamentos relacionados à educação e terapias com função comportamental que trazem ótimos resultados.

3. Meu autismo não é sua culpa

Pessoas com autismo têm um transtorno heterogêneo do neurodesenvolvimento, com grande variação de manifestações cognitivas e comportamentais. Mas isso não tem relação com os seus cuidados em relação a mim.

4. Mantenha minha vacinação em dia

Apesar de algumas pessoas acharem, o autismo não é provocado por vacinações. Aliás, você deve manter minha vacinação em dia, como forma de proteção.

5. Eu consigo mais!

Pessoas com autismo progridem sim. A chave para isso está no diagnóstico precoce e no tratamento adequado. Mas leve em consideração as minhas particularidades e explore os meus potenciais por meio de uma intervenção multidisciplinar. Isso possibilita novos aprendizados e melhor prognóstico.

O psicólogo Tiago reforça que cada autista tem seus trejeitos e seu estilo de vida. "Alguns podem permanecer minimamente verbais e não conquistarem a independência, enquanto outros se tornarão estudantes universitários, jovens adultos que vivem de forma independente. Mesmo assim, todos precisam de atenção e carinho para uma vida mais tranquila", finaliza.

Fonte: Assessoria de Comunicação