Cirurgia plástica pode resolver flacidez e gordura nos braços?

Em geral, o excesso de peso, o efeito sanfona ou a perda excessiva de peso podem deixar a região flácida

Foto: Divulgação


Muitas pessoas se incomodam com a barriguinha, com os culotes ou com o bumbum. Mas, se há algo que também incomoda muito é a flacidez e a gordura localizada nos braços, o famoso “tchauzinho”. Em geral, o excesso de peso, o efeito sanfona ou a perda excessiva de peso podem deixar a região dos braços flácida. Além disso, é um local que costuma ter acúmulo de tecido adiposo (gordura).

Mas, felizmente, graças aos avanços da cirurgia plástica e da medicina estética, hoje é possível corrigir as duas coisas, seja o excesso de pele ou a gordura que se acumula nos braços. Segundo o cirurgião plástico, Dr. Luiz Philipe Molina, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, as técnicas para fazer uma braquioplastia (nome da cirurgia) evoluíram bastante nos últimos anos.

“Há uma preocupação muito grande com as cicatrizes, como também com o perfil de segurança desta cirurgia, já que é uma região delicada, com muitos nervos, tendões, músculos e tecido linfático. O pós-operatório também tem suas restrições. Assim, é preciso informar o paciente sobre todos estes aspectos nas consultas pré-operatórias”, comenta Dr. Molina. 

Aumento da demanda

Dr. Molina ressalta que houve um aumento da demanda pela cirurgia plástica nos braços, que está relacionada com a crescente procura pelas cirurgias de redução de peso. “Infelizmente, a obesidade é uma realidade em nosso país. Por outro lado, e, felizmente, as pessoas estão procurando tratamentos para perder peso, sendo um deles a cirurgia bariátrica. Como na maioria dos casos a perda de peso é muito grande e rápida, a flacidez dos braços é muito prevalente”.

Com isso, segundo o Dr. Molina, é possível notar nos últimos anos um aumento na procura por este tipo de cirurgia, que em muitos casos é uma cirurgia reparadora e não estética. 

Onde fica a cicatriz?

“Diferentemente de regiões mais escondidas, que as roupas costumam cobrir, os braços ficam mais expostos. Com isso, onde a cicatriz irá ficar e como será a sua aparência são questões que deverão ser discutidas entre o paciente e cirurgião plástico antes da cirurgia. O paciente precisa ser alertado sobre esses aspectos. As técnicas podem variar de um paciente para o outro, portanto, a cicatriz também será diferente em cada pessoa”, comenta Dr. Molina.

Normalmente, as cicatrizes se localizam na face interna dos braços e nas axilas. A tendência é com o passar do tempo elas diminuam, mas ainda assim serão visíveis.

Plástica e lipo ao mesmo tempo

Normalmente, a técnica empregada é a dermolipectomia braquial, em que serão removidos tanto o excesso de pele quanto de gordura, ou seja, o médico irá fazer a retirada da sobra da pele e remover a gordura por meio da lipoaspiração. A técnica também pode ser chamada de lifting braquial e irá remodelar a aparência dos braços.

Recuperação

A recuperação de uma dermolipectomia requer alguns cuidados importantes, que devem ser seguidos para evitar complicações no pós-cirúrgico:

  1. Repouso: A recuperação da cirurgia plástica nos braços lembra bastante a cirurgia de mamas. Assim, na primeira semana recomenda-se repouso relativo. Isso significa não trabalhar, cozinhar, dirigir, nem movimentar os braços de forma brusca. Caminhadas leves devem ser feitas para prevenir a trombose venosa profunda.
  2. Movimento dos braços: Nas primeiras três semanas após a cirurgia, o paciente não deve movimentar os braços bruscamente, nem levantar peso ou fazer qualquer tipo de esforço maior com os braços.
  3. Drenagem linfática: É comum haver edema (inchaço) após a cirurgia. Por isso, há recomendação para passar por sessões de drenagem linfática para melhorar este sintoma.
  4. Cintas compressivas: Para ajudar na cicatrização e na recuperação, o paciente deverá usar uma cinta compressiva específica para os braços por cerca de 30 dias.
  5. Sol: O sol é proibido durante os primeiros três meses após a cirurgia, mesmo com uso de protetor solar. Isso porque pode escurecer as cicatrizes ou até favorecer a formação de queloides.

Essas são apenas algumas recomendações do pós-cirúrgico. Nas consultas, o médico cirurgião plástico deve fornecer todas as informações necessárias e o paciente precisa seguir à risca para um bom resultado. Lembrando sempre de procurar um médico, com título de especialista em cirurgia plástica e com o CRM devidamente inscrito e regularizado.