Nutricionista desenvolve primeiro chocolate anti-TPM do Brasil

Pesquisa relacionou hormônios femininos com nutrientes de outros alimentos para chegar ao equilíbrio ideal e criar um alimento terapêutico

Foto: Divulgação


Segundo dados do Ministério da Saúde, a tensão pré-menstrual (TPM) é a “vilã” na vida de 70% das mulheres brasileiras em idade reprodutiva. Para se ter uma ideia, são mais de 200 sintomas físicos e emocionais que podem acometer as mulheres nesse período, como cólicas, insônia, irritabilidade, inchaço, dor de cabeça e é claro, a compulsão alimentar. As mulheres que sofrem com tudo isso sabem o quanto aquele chocolatinho traz efeitos positivos. Para melhorar ainda mais, a nutricionista e pesquisadora Aline Quissak desenvolveu o primeiro chocolate anti-TPM do Brasil. 

LEIA MAIS: Dormir bem ajuda a engravidar mais rápido

Conhecida por aliar alimentação e ciência, a profissional tem um acervo de mais de 400 receitas terapêuticas com resultados cientificamente comprovados, sendo o chocolate anti-TPM uma delas. O estudo foi feito com 355 mulheres, na faixa etária entre 24 e 43 anos. Foram meses de pesquisa até chegar ao resultado.

“Em meio a uma pesquisa sobre estresse e ansiedade, chamada Mood and Food, fui analisando o efeito do chocolate 70% nos sintomas da TPM. O problema é que ele sozinho não melhorava significativamente os principais sintomas. Foi então que comecei a estudar os hormônios femininos e relacioná-los aos nutrientes de outros alimentos, como o morango, a linhaça, o mel e algumas outras ervas medicinais. Elas separadas também tinham um efeito cientificamente relevante. Mas quando resolvi unir tudo isso em um chocolate, os resultados nos hormônios femininos, na oscilação de humor, choros, irritabilidade, apetite aumentado, vontade exagerada de doces, foram surpreendentes”, explica a especialista.

Foto: Divulgação

 

Qual a diferença desse chocolate para os demais? Segundo Aline,  essa diferença está na sinergia dos alimentos, já que ele reúne um chocolate premium (alto teor de cacau, manteiga de cacau, sem uso de parafinas, gorduras hidrogenadas, corantes ou conservantes), com compostos bioativos e vitaminas específicas, além de uma proporção "mágica" entre morango, o óleo de linhaça e o cacau, para ter o efeito no equilíbrio dos hormônios femininos.

Se consumido como recomendado, dois bombons por dia durante o período que antecede a TPM, ele melhora sintomas como a irritabilidade, choro, apetite, controla a compulsão alimentar e ainda ajuda no foco e na concentração, além de diminuir a ansiedade. “Costumo dizer que esse chocolate além de ser bem-vindo às mulheres que sofrem com a TPM, é bem-vindo a todo o ambiente em que estamos inseridos. Ele traz benefícios gerais quando consumido sem exageros”, avalia.

O chocolate está aguardando a regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas a previsão é de que ele chegue ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2019.  “A Anvisa possui uma regulamentação específica para os chamados alimentos com ‘alegação de propriedade funcional’, ou seja, aqueles alimentos que possam ter um efeito benéfico na saúde. Todas as pesquisas para garantir a segurança à saúde, comprovar que não há nenhum risco e que ainda tem um efeito medicinal na TPM já foram feitas. Agora, há apenas a espera da formalização da documentação para que ele possa estar disponível para a comercialização”, finaliza.

Foto: Divulgação