Depilação facial à cera: mitos e verdades

Flacidez, manchas e cravos na pele são algumas das principais dúvidas

Foto: Reprodução


A depilação facial à cera é um dos métodos mais eficazes na remoção da pelugem excessiva do rosto feminino. Mitos sobre o assunto levaram algumas adeptas a abandonarem a técnica, acreditando que além da flacidez gerada pelo puxa-puxa, o procedimento proporciona o aparecimento de manchas escuras na pele e facilita o encravamento dos pelos.

Regina Jordão, fundadora do Instituto Pello Menos, desmistifica alguns pontos sobre o tema. “A cera tem ação somente nas camadas superficiais da pele e, portanto, não tem como causar flacidez, nem rugas. Quanto aos pequenos vasos capilares dilatados, chamados de telangiectasia, eles estão mais relacionados a problemas hormonais, hereditários, excesso de peso e não têm ligação com o processo de depilação. Já o encravamento dos pelos tem mais a ver com o tipo de pele do que com o método utilizado na depilação, porém a falta de hidratação pode ocasionar o encravamento após qualquer método utilizado para a extração dos pelos”.

Leia mais: Qual é a preferência das mulheres na hora da depilação íntima

Sobre as manchas no rosto, a executiva frisa que, para evitar o problema, o melhor é buscar um centro estético confiável e usar protetor solar. “É recomendado o uso de protetor solar sempre, principalmente após a depilação com cera quente”, explica Regina. “Outro ponto importantíssimo é: busque por um centro estético confiável. A cera em temperatura inadequada pode causar queimaduras, que resultam nas temíveis manchas escuras, pigmentadas”, finaliza.

Sobre a Rede Pello Menos

A rede Pello começou em junho de 1996 num salão em Copacabana para oferecer um serviço diferenciado de depilação, minimizando as dores e o desconforto de salões de beleza pouco intimistas. Atualmente a rede conta com mais de 40 unidades nos estados do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo.

Fonte: Pello Menos