Por que é tão difícil perder peso conforme vamos envelhecendo?

Médico nutrólogo Alexander Gomes de Azevedo explica como driblar a desaceleração do metabolismo

Foto: Divulgação


Você já percebeu que perder peso não é tão fácil como quando era bem jovem? Ou que não pode comer o que quer, pois os quilos a mais logo aparecem? O médico nutrológo Alexander Gomes de Azevedo explica que é mais difícil emagrecer conforme envelhecermos porque o nosso metabolismo basal (o que o corpo gasta de energia para manter suas funções) começa a cair.

"Isto acontece já a partir dos 25 a 30 anos de idade, período em que ocorre uma queda gradual na produção dos nossos hormônios tiroidianos e sexuais (masculino ou feminino), além do hormônio do hormônio do crescimento, entre outros. Só essa queda hormonal já pode diminuir nosso metabolismo, que piora ainda mais quando está associada ao sedentarismo e a má alimentação, o que aumenta o depósito de gordura corporal, e acelera a chamada “sarcopenia”, que é a perda muscular progressiva relacionada a idade, e nós sabemos que o músculo também é um grande “gastador” de energia, elucida o médico. 

Segundo Azevedo, estes fatores associados, não só dificultam o emagrecimento como facilitam a instalação de doenças crônicas não transmissíveis, como é o caso da obesidade, diabetes tipo II, hipertensão arterial, e até alguns tipos de câncer. Algumas vezes, o metabolismo já começa a desacelerar bem antes. "Pode começar a diminuir aos 18 anos. Isso vai depender dos hábitos alimentares e de vida", pontua.

Para aumentar o metabolismo e mantermos o peso desejado, é necessário fazer alguns ajustes. Reduzir a quantidade de alimentos ingeridos e melhorar a qualidade deles, além de fazer exercícios para evitar a perda de massa muscular. O recomendado são os exercícios de resistência associados a eletroestimulação muscular passiva com aparelhos específicos, acompanhado sempre de profissionais capacitados a realizar esse tipo de “treinamento”.

O nutrólogo também fala sobre os alimentos que podem acelerar o metabolismo. São aqueles que contém mais fibras, como alimentos integrais, frutas e verduras, além de proteínas de origem animal. Bebidas como café e chás que podem estimular o metabolismo devem se consumidos com moderação, uma ou duas xícaras ao dia. Outra boa opção é escolher os alimentos de acordo com o seu grupo sanguíneo. "Além de uma boa alimentação e exercícios regulares, o equilíbrio hormonal é fundamental para melhorar ou manter a sua saúde com o passar dos anos. Faça boas escolhas, para viver mais e melhor". 


LUA RODRIGUES

luana@gaz.com.br