Problemas de pele na gravidez

Confira os problemas de pele – no rosto e no corpo – mais comuns que as mulheres podem desenvolver

Foto: Reprodução


É muito comum na gestação as alterações pigmentares. Segundo o dermatologista, Tiago Silveira Lima, há escurecimento de manchas preexistente até de sardas e sinais. Pode aparecer uma mancha muito comum e que preocupa muito as mulheres, o melasma ou cloasma gravídico, que são manchas acastanhadas, principalmente na face, muito sensíveis ao sol.

Ocorre também o escurecimento da genitália, mamilos, aréola, axilas, virilha e da linha no centro da barriga, que cruza o umbigo. Também pode haver hirsutismo (aumento dos pelos do corpo) e até os cabelos do couro cabeludo podem ficar mais bonitos e volumosos no início da gestação. É comum surgir estrias de distensão no abdome, seios e nádegas. Há, ainda, piora da circulação, incluído hemorroidas, varizes e outras lesões relacionadas à veias. Pode haver também piora da acne, e as coceiras sem causa aparente são muito comuns. Mais raramente surgem doenças que trazem aparecimento de “bolinhas”, manchas vermelhas e até bolhas, que normalmente vem acompanhadas de coceira.

Os produtos/componentes devem ser evitados? Em toda gestação ou apenas nos primeiros meses?
Muitos dos produtos e medicamentos são relativamente contra-indicados na gestação por falta de estudo e evidências do malefício, já que não seria ético e conveniente fazer alguns tipos de estudos e testes em gestantes. Dos medicamentos de uso oral (de tomar) são sabidamente teratogênicos (podem causar má formação) os metotrexato, inibidores da enzima de conversão de angiotensina, carbamazepina, ciclofosfamida, danazol, dietilbestrol, drogas hipoglicemiantes, lítio, misoprostol, fenitoína, barbitúricos, benzodiazepínicos, propiltiouracil, metimazol, retinóides sistêmicos, tetraciclinas, talidomida, ácido valpróico, varfarina etc.

Em relação aos medicamentos tópicos (de aplicar), não existe grande evidência de teratogenicidade neles e acredita-se ser pouco provável, se forem usados da forma correta, na quantidade correta, em áreas pequenas de pele e na pele íntegra (sem machucados). De qualquer forma, os medicamentos contra-indicados por via oral, por inferência, também são contra-indicados por via tópica (como a tretinoína e isotretinoína, por exemplo). Além disso, como mencionado, muitos medicamentos não têm estudos que liberem sua segurança. Então, mesmo no caso de medicação de aplicar, é prudente escolhermos os que comprovadamente não causam má formação. Toda e qualquer medicação tem maior risco de causar danos no primeiro trimestre. Porém, há relatos também de complicações com o uso de substâncias após os primeiros três meses (como as tetraciclinas – antibióticos), e por isso, a contra-indicação se mantém na gestação toda.