Cuidados com a saúde dos joelhos

Os joelhos são estruturas complexas e fundamentais para a sustentação e movimentação do corpo.

Foto: Freepik.com
Foto: Divulgação


Formados por ossos, músculos, ligamentos, articulações e meniscos, os joelhos são uma espécie de dobradiças que nos permitem caminhar, correr, chutar, dançar, nadar, agachar e o simples de ato de nos sentarmos com as pernas dobradas. Com tantos detalhes que formam essa estrutura tão importante para a vida cotidiana das pessoas, os joelhos também são muito sensíveis e necessitam de atenção e manutenção periódica. Por isso, o paciente deve estar atento e, se for necessário, procurar uma clínica de ortopedia.

Este texto relaciona os problemas e causas mais comuns das patologias nos joelhos e explica quais são os tipos de procedimentos para prevenir e tratar lesões ou inflamações causadas por doenças autoimunes.

Quem pode ter problemas nos joelhos?

A dor no joelho acomete pessoas de todas as idades e gêneros, mas é bastante comum em:

      pessoas com idade avançada, por causa do desgaste causado pelo tempo;

      nas mulheres, por conta da estrutura física do corpo feminino;

      e em esportistas e atletas, pela prática de exercícios de alto impacto nessas articulações.

Possíveis causas

Os motivos são diversos, bem como a localização da dor. As dores podem ser decorrentes de causas traumáticas, como fraturas, rompimento de ligamentos e outras lesões causadas em práticas esportivas, desgaste das articulações ou doenças degenerativas, como bursite, tendinite, artrose, artrite reumatoide e artrite gotosa aguda (gota).

Quando procurar um ortopedista

Sentir leves incômodos nos joelhos depois de uma prática intensiva de exercícios não é algo preocupante e um tempo de repouso e compressas de gelo podem resolver. Se a dor for aguda, impedir a movimentação, perdurar mais de 24 horas e for acompanhada de inchaços e aumento da temperatura na região, é preciso buscar um bom ortopedista.

As pessoas não podem esquecer que a dor é sempre sinal de que há algo de errado com o organismo. Ignorar ou mascará-la com o uso de analgésicos pode agravar o problema e dificultar o tratamento.

Diagnóstico

Durante a consulta com um médico especializado em ortopedia e traumatologia, como os que integram a Rede D’Or São Luiz, o paciente deverá relatar como é a dor, onde está localizada, com qual frequência aparece ou a partir de qual episódio a região começou a doer. Com base nessas informações, no histórico do paciente e com dados de peso e idade, o especialista pode prever alguns diagnósticos.

Eles só podem ser confirmados com bases em exames como radiografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassom.

Tratamentos

Com o diagnóstico em mãos, o ortopedista poderá indicar o tratamento adequado. A dor no joelho é tratada com fisioterapia, medicamentos e cirurgia, nos casos mais graves.

Fisioterapia

A fisioterapia tem diversos protocolos de tratamento para fortalecer a musculatura que sustenta os joelhos e melhorar a estabilidade e flexibilidade das articulações. Por essa razão é necessário que o diagnóstico seja confiável e preciso.

Para o sucesso do tratamento fisioterápico, o paciente deve se comprometer em seguir rigorosamente o protocolo de exercícios, compressas e número de sessões.

Medicamentos

Dependendo do caso clínico, o ortopedista ou traumatologista poderá indicar medicamentos via oral ou o que se chama de infiltração, que é injeção diretamente na articulação. As principais substâncias são corticoides, ácido hialurônico e anestésicos.

Cirurgias

Para os casos mais graves e limitantes para o paciente, a ortopedia e a traumatologia oferecem duas opções cirúrgicas.

1.    Artroscopia: feita com a ajuda de uma câmera e instrumentos inseridos por pequenos cortes no joelho, a técnica cirúrgica pode reparar a cartilagem e reconstruir ligamentos.

2.    Artroplastia: esse método é utilizado quando a deterioração das articulação é irreversível por meio de medicamentos e fisioterapia. A opção é implantação de uma prótese artificial para substituir a articulação ou parte dela.

Prevenção

“Tome bastante cálcio. Seja cuidadoso com os joelhos. Você vai sentir falta deles”. Esse trecho do texto “Filtro Solar”, de autoria da norte-americana Mary Schmich e popularizado no Brasil pela tradução do jornalista Pedro Bial, alerta para a importância dos cuidados que devemos ter com essa preciosa região do corpo.

Entre as causas de lesões e inflamações nos joelhos estão o sedentarismo e o sobrepeso. Por outro lado, certos esportes e práticas de exercícios de alto impacto também são fatores de risco.

Equilíbrio na prática de exercícios e o acompanhamento de um ortopedista são os segredos para a manutenção da saúde dos joelhos. Algumas dicas:

      Antes de se exercitar, aquecer e alongar quadríceps e tendões das pernas é fundamental;

      Praticar exercícios de alto impacto requer uma visita ao ortopedista com maior frequência;

      Verificar com o ortopedista se o tipo de calçado utilizado está adequado à forma e mecânica dos pés;

      Fortalecer os músculos próximos ao joelho com séries de musculação orientadas por um profissional é importante para proteger os joelhos;

      Alimentação saudável com ingestão de cálcio é importante para a saúde dos ossos.