10 mitos e verdades sobre fertilidade

Especialista responde dúvidas de homens e mulheres que pretendem ter filhos

Foto: Divulgação


Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, a infertilidade no Brasil faz parte da realidade de mais de 8 milhões de pessoas e gera muitas dúvidas, principalmente porque a ciência já comprovou que alguns hábitos podem sim aumentar a fertilidade.

Fernando Prado, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana da Clínica Neo Vita, esclarece as principais dúvidas que chegam ao consultório e aponta quais são os mitos e verdades que podem ajudar ou atrapalhar os planos de quem deseja aumentar a família.

A idade da mulher é mais importante do que a do homem?

Sim, mas o homem também perde com o tempo. A idade mais fértil da mulher acontece na faixa dos 25 aos 30 anos, após esse período é normal a diminuição do número e qualidade dos óvulos, especialmente após os 35 anos. No caso dos homens, alguns estudos já comprovam que com o aumento da idade, a partir dos 50 anos, tanto a qualidade como a quantidade de espermatozoides sofrem alterações.

As mulheres têm mais problemas para engravidar do que os homens?

Mito. Na verdade, a taxa de possível infertilidade é igual para ambos os sexos. Em números pode-se dizer que 40% dos casos de infertilidade é responsabilidade da mulher e 40% do homem. Os outros 20% correspondem a problemas com os dois membros do casal.

Existe dia certo para tentar engravidar?

Verdade. A recomendação é que os casais respeitem o período fértil para ter relação sexual. Existem aplicativos para celular que calculam facilmente o período, mas é em geral de 10 a 16 dias após o início da menstruação. Nesta fase é comum observar uma secreção vaginal transparente, como uma clara de ovo. Esse é o muco, responsável pela lubrificação vaginal e faz com que os espermatozoides encontrem mais facilidade para chegar ao óvulo, facilitando a fecundação.

O uso de anticoncepcional causa infertilidade?

Mito. As pílulas contraceptivas na verdade possuem a função de impedir a ovulação. Quando a mulher descontinua seu uso, a função dos ovários é reestabelecida e já pode engravidar até no dia seguinte de parada da pílula.

Endometriose causa infertilidade?

Verdade, mas não em todos os casos. De 30% a 50% das mulheres com endometriose podem ter infertilidade. E nas pacientes com dificuldade para engravidar, quase metade delas tem algum grau de endometriose. A doença é definida pelo crescimento anormal da camada de revestimento interno do útero (o endométrio). Geralmente começa com lesões superficiais, facilmente tratáveis, mas pode evoluir para quadros graves que atingem os ovários e intestino. Segundo o último estudo da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, cerca de 60% das mulheres afetadas pela endometriose conseguirão engravidar após realizarem tratamento.

A obesidade faz diminuir as chances de uma possível gravidez?

Verdade. A obesidade é responsável por desregular os padrões hormonais, interferindo tanto na ovulação da mulher como na qualidade e quantidade do sêmen. Além disso, mulheres com problemas de sobrepeso acabam sendo mais propensas a desenvolver diabetes gestacional e hipertensão durante a gravidez.

A caxumba pode deixar o homem infértil?

Verdade. Existem alterações consideráveis na fertilidade masculina, pois a doença pode atingir os testículos dos homens prejudicando a produção de espermatozoides, principalmente se for contraída da adolescência em diante.

Tratamentos de quimioterapia e radioterapia interferem na fertilidade?

Verdade. Com esses tratamentos de combate ao câncer as células reprodutivas acabam sendo destruídas ou sofrendo alterações genéticas. Por isso, a recomendação no caso dos homens é o congelamento de sêmen antes do tratamento e para as mulheres o congelamento de óvulos.

Óvulos, embriões e sêmen congelados possuem prazo de validade?

Mito. Com as técnicas de criopreservação dos óvulos, o congelamento de embriões e do sêmen, eles podem ficar congelados por tempo indeterminado, décadas até. Na hora certa a mulher pode descongelar os óvulos ou os embriões e engravidar. As chances de sucesso são idênticas às da idade em que foram congelados. Quanto mais jovem, maiores as chances de sucesso.

O homem que passou pela vasectomia não pode mais ter filhos?

Mito. Um paciente vasectomizado pode sim realizar mais uma vez o sonho da paternidade. Apesar da vasectomia representar um dos métodos contraceptivos mais utilizados em todo o mundo é possível reverter o procedimento ou mesmo fazer fertilização in vitro.