Linhaça marrom e dourada: conheça benefícios e diferenças

Fonte de fibras, vitaminas e minerais, a linhaça é um alimento funcional, que pode ser incluído em receitas tradicionais trazendo diversos benefícios à saúde

Foto: Reprodução


A busca pela rotina de alimentação saudável deu popularidade a uma semente versátil, que pode ser usada do café da manhã ao jantar: a linhaça. Por ser rica em nutrientes como fibras, vitaminas e minerais, é considerada um alimento funcional, que exerce papel fundamental no bom funcionamento do organismo. A semente também é sem glúten, portanto, segura para celíacos, que são alérgicos e intolerantes à proteína. 

A linhaça possui duas variações: marrom e dourada. Segundo a doutora em engenharia de alimentos Amanda Roman Guedes, em termos nutricionais as duas sementes são muito parecidas. “A linhaça marrom tem 22% de proteínas e 44% de óleos, enquanto a linhaça dourada possui 29% de proteínas e 43% de óleos, o que confere um valor nutricional bem semelhante”, detalha. 

As principais diferenças, segundo a engenheira, estão no cultivo e sabor. “Por ser cultivada em regiões de clima quente e úmido, a versão marrom é mais adaptada ao solo brasileiro e concentra maior quantidade de fibras, com sabor mais amargo e forte. Já a versão dourada é encontrada em locais de clima frio, com casca mais fina e sabor mais suave. É indicada para quem está começando a inserir sementes na alimentação. Contudo, por não ser tão comum no Brasil, ela acaba sendo mais cara do que a linhaça marrom”, explica Amanda. 

Auxilia no emagrecimento

Um estudo realizado pela Unicamp revelou que os ômegas-3, 6 e 9 presentes na linhaça são capazes de interromper ou reverter processos inflamatórios do hipotálamo, que liga o sistema nervoso ao endócrino e controla o apetite. Outra pesquisa, feita pela UFRJ, concluiu que a semente controla os níveis de açúcar no sangue. Por isso, contribui para aumentar a sensação de saciedade, o que faz a pessoa comer menos, além de ajudar na digestão e combate à prisão de ventre. “Apesar dos benefícios, apenas o consumo da linhaça não é suficiente. Ela precisa ser atrelada a uma dieta saudável e à prática de atividades físicas”, afirma a engenheira da Jasmine Alimentos, empresa especializada em produtos saudáveis.

Combate de doenças cardiovasculares

A quantidade de ômegas-3 e 6 presente na linhaça contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares. “A semente reduz a formação de coágulos, diminui a pressão arterial, os triglicérides e as taxas de colesterol total e ruim. O consumo regular também auxilia os rins a excretar água e sódio, o que reduz chances de hipertensão e infarto”, comenta Amanda. 

Possui potencial anticancerígeno

As propriedades antioxidantes da linhaça dão um reforço no sistema imunológico do organismo, que somadas às ligninas, possuem ação reguladora sobre hormônios, podendo reduzir as chances de crescimento de tumores. Além de contribuir com a prevenção de alguns tipos de câncer, a linhaça também pode melhorar o quadro de doenças como Alzheimer e asma, por bloquear agentes inflamatórios. Outro benefício da lignina presente na linhaça é o equilíbrio hormonal, que ajuda mulheres no período pré-menstrual ou na menopausa, com uma reposição natural do estrogênio, ajudando na prevenção de ondas de calor e oscilações emocionais.

Aumenta a energia e a vitalidade

“A linhaça acelera o metabolismo e ajuda a recuperar a fadiga muscular. É uma fonte nutricional para o aumento de energia e vitalidade”, afirma Amanda. A presença da vitamina E na semente também combate o envelhecimento precoce. 

Como consumir

Os benefícios da linhaça são melhor aproveitados quando a semente é triturada. “Já que a sua casca é feita de celulose e não é digerida pelo intestino, o ideal é triturá-la e consumi-la o quanto antes, para evitar que a semente oxide e perca suas propriedades nutritivas. Uma alternativa é comprar a farinha já estabilizada. Com os avanços tecnológicos, a Jasmine Alimentos desenvolveu farinhas de linhaça dourada e marrom estabilizada, processo que faz com que os ácidos graxos sejam preservados, assegurando a presença de todos os nutrientes da linhaça, sem o uso de aditivos artificiais”, explica a engenheira de alimentos.

Outra opção de consumo da linhaça pode ser por meio da sementre hidratada, misturada em sucos, vitaminas, iogurtes, ou saladas de frutas. Contudo, é preciso ficar atento à quantidade. “Os alimentos, por mais benéficos que sejam para o organismo, também podem trazer malefícios se consumidos em excesso. No caso da linhaça, a ingestão excessiva pode prejudicar a absorção de nutrientes e ocasionar constipação intestinal. A recomendação saudável é o consumo de até duas colheres de sopa por dia”, ressalta a especialista.