Pesquisa mostra que os sentidos influenciam no desejo sexual

O tato é o sentido que mais estimula as pessoas a fazerem sexo, seguido pela visão

Foto: Divulgação


Os sentidos podem estimular e influenciar no desejo sexual das pessoas. Uma pesquisa, realizada pela sexóloga Fabiane Dell’ Antônio, fez um levantamento sobre a influência dos sentidos no desejo sexual dos clientes de um site de revendas de produtos sensuais. 

Participaram 235 pessoas sendo composto por 74,9% de mulheres e 25,1% de homens. Dos entrevistados, 60,8% apresentam idade até 29 anos, 57,9% são casados e 23,8% namorando. Destes, 87,2% são heterossexuais e 38,11% estão em relacionamentos de até 3 anos.

A maioria dos entrevistados, 74,9%, relata que gostaria de ter mais desejo sexual, e 68,5% gostaria que seus parceiros sentissem mais desejo sexual. Com estes resultados, a sexóloga observou a necessidade das pessoas melhorarem os estímulos sexuais e terem iniciativas para aumentar o desejo individual e entre o casal.

Quando questionados sobre qual dos sentidos que mais lhe provoca desejo sexual obteve-se os seguintes resultados: com 86,4% o toque é o sentido que mais favorece o desejo sexual, seguido por visual (imagens) com 47,2%. O auditivo (sons) teve 39,6%, o olfato (cheiro) 38,3%, e por último foi a gustação (sabor), escolhido por 16,6% dos entrevistados.

“A pesquisa identifica que o toque é o estímulo que mais favorece o desejo sexual durante as preliminares, e por isso a importância deste momento que antecede a penetração. Afinal, quando a pessoa recebe estímulos prazerosos estará mais excitada, e com isto facilitará o prazer sexual”, explica Fabiane.