O relacionamento monogâmico limita as fantasias sexuais?

57% dos entrevistados brasileiros afirmaram manter relação com um amante por mais de seis meses

Foto: Reprodução


 Quando se está em uma relação conjugal, é comum que, com o passar dos anos, o amor comece a se esvair. Mesmo com o desgaste dessa relação, muitas vezes o(a) parceiro(a) não deseja o rompimento, e as razões para isso podem ser as mais diversas: estabilidade financeira, deterioração da estrutura familiar, temor com o que acontecerá após o término, negação em perder o que se investiu, entre outros motivos.

Como forma de amenizar essas angústias, muitas pessoas acabam recorrendo a um(a) amante, alguém que lhes propicie prazer e liberdade, que os liberte, mesmo que por algumas horas, dos problemas provenientes do relacionamento.

Por que sentimos fetiche pelo proibido? Realizamos mais fantasias sexuais com os nossos amantes do que com os nossos parceiros atuais? Um amante pode proporcionar mais prazer do que seu próprio parceiro? Com o objetivo de conhecer as respostas para algumas dessas perguntas e para entender melhor sobre o perfil dos usuários brasileiros, a Second Love, plataforma de relacionamentos extraconjugais que conta com mais de 2 milhões de usuários na América Latina, realizou uma pesquisa com os usuários para se aprofundar em suas fantasias, e os resultados foram surpreendentes:

  • 66% acreditam que ter um(a) companheiro(a) fixo(a) limita a possibilidade de realizar fantasias sexuais

  • 57% dos entrevistados afirmam manter relação com um amante por mais de seis (6) meses

  • 66% dos usuários da plataforma já tiveram algum amante;

  • 80% dos usuários disseram que o amante teve mais ferramentas para seduzir e dar prazer do que o(a) atual companheiro(a);

  • 72% afirmaram que já realizaram fantasias sexuais com o affair;

  • 78% admitiram que jamais conseguiram realizar nenhuma fantasia sexual com o(a) companheiro(a) atual

Questionados sobre o motivo que os levou à realização da fantasia sexual com um amante, as respostas variaram entre os sexos masculino e feminino. Para os homens, alguns argumentaram que suas companheiras não eram capazes de satisfazer seus desejos sexuais, enquanto que outros citaram a rotina como motivo para procurar uma amante. Já as mulheres citaram a realização de fetiches, a curiosidade em manter uma relação extraconjugal e o desejo de aventurar-se como alguns dos motivos que as fazem procurar por um amante na plataforma.

Quando questionados por quais lugares costumam procurar conhecer algum potencial amante, a internet vence de lavada. Confira o ranking:

1. Internet: 74,52%

2. Outros: 8,71%

3. Em bar, boliche ou restaurante: 6,83%

4. No local de trabalho: 5,81%

5. Clubes ou cinema: 4,10%

Dados sobre a pesquisa: realizada com 946 pessoas entre homens e mulheres com idades entre 30 e 59 anos. Todos os participantes se encontram em algum tipo de relacionamento, alguns com ou sem filhos.
*A pesquisa foi realizada pela Second Love no mês de junho.